LIBREVILLE (Reuters) - A China não vai ser objeto de pressão internacional para valorizar o iuan, e vai "reformar" a moeda de acordo com as suas condições econômicas, disse o vice-ministro de Comércio do país, Fu Ziying, nesta quarta-feira.

"A reforma na taxa de câmbio será feita de acordo com a situação (econômica)", disse ele a repórteres em Libreville, capital do Gabão, durante um tour a alguns países africanos.

" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

China rejeita pressão sobre mudanças no iuan

LIBREVILLE (Reuters) - A China não vai ser objeto de pressão internacional para valorizar o iuan, e vai "reformar" a moeda de acordo com as suas condições econômicas, disse o vice-ministro de Comércio do país, Fu Ziying, nesta quarta-feira.

"A reforma na taxa de câmbio será feita de acordo com a situação (econômica)", disse ele a repórteres em Libreville, capital do Gabão, durante um tour a alguns países africanos.

Reuters |

LIBREVILLE (Reuters) - A China não vai ser objeto de pressão internacional para valorizar o iuan, e vai "reformar" a moeda de acordo com as suas condições econômicas, disse o vice-ministro de Comércio do país, Fu Ziying, nesta quarta-feira.

"A reforma na taxa de câmbio será feita de acordo com a situação (econômica)", disse ele a repórteres em Libreville, capital do Gabão, durante um tour a alguns países africanos.

"É uma questão de soberania nacional", acrescentou.

Pequim tem mantido sua moeda desvalorizada frente ao dólar nos últimos 21 meses, apesar das críticas de Washington e de outros países, como o Brasil, de que o país está deliberadamente evitando a apreciação da moeda para promover suas exportações.

Os mercados esperam alguma mudança, mas o período e a forma como a ela se dará é desconhecida.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG