A China vai convidar a Petrobras para avaliar a capacidade de produção de petróleo em sua costa. Ontem, o presidente da estatal chinesa CNOOC (China National Offshore Oil Corp), Fu Chengyu, garantiu que quer a estatal brasileira na busca pelo petróleo no país.

Mas coloca seu preço: quer a participação de sua empresa nas futuras explorações de petróleo na costa brasileira para alimentar a demanda chinesa.

Dados da Agência Internacional de Energia (AIE) apontam que 40% da alta na demanda por petróleo até 2013 virá da Ásia e, desse total, grande parte será do mercado chinês. Para os executivos das petrolíferas Chevron, Exxon e Total, a demanda na China é um dos principais fatores da atual alta do petróleo. Portanto, o descobrimento de reservas de petróleo na costa da China seria considerado até mesmo um "alívio" para o mercado. Mas a região já foi alvo de disputa diplomática entre Japão e China, diante do potencial de exploração em um momento crítico no setor de energia.

Uma das estimativas aponta que o Mar da China teria uma reserva de pelo menos 7 bilhões de barris de petróleo. Mas segundo fontes do setor esse volume seria apenas a "ponta do iceberg”. "Sabemos que temos muito petróleo. Temos a informação já confirmada de que há um reserva importante na nossa costa e as expectativas de que haja ainda mais são enormes. Mas esse petróleo estaria em águas profundas, e sabemos que a Petrobras, hoje, é quem melhor pode identificar isso. Por isso, vamos convidar a empresa brasileira a trabalhar conosco nesse projeto", afirmou Fu. Segundo ele, o convite deverá ser feito ainda este ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.