Pequim vai retaliar caso os Estados Unidos declarem que a China manipula sua moeda e também vai impor sanções comerciais, disse neste domingo o ministro chinês do Comércio, Chen Deming, no mais recente gesto sobre uma debate acerca do valor do yuan. Chen novamente acusou Washington de politizar a questão antes do prazo limite de 15 de abril para que o Tesouro norte-americano declare se a China está mantendo artificialmente sua taxa de câmbio em níveis baixos para ganhar competitividade nos mercados globais.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562633863&_c_=MiGComponente_C

"O câmbio é uma questão soberana e não deve ser algo a ser discutido entre dois países", afirmou Chen ao Fórum de Desenvolvimento da China.

"Achamos que o renminbi (yuan) não está desvalorizado, mas se o Tesouro dos Estados Unidos der uma resposta errônea a suas próprias necessidades, vamos esperar para ver. Caso tal resposta seja seguida de sanções comerciais, penso que não faremos nada. Também responderemos se isso significar litígio segundo a estrutura de regras globais", acrescentou.

Chen não especificou como Pequim poderia responder.

Pressões políticas estão crescendo para que Washington declare que a China manipula sua taxa de câmbio, com alguns senadores norte-americanos ameaçando impor taxas sobre produtos chineses caso Pequim não deixe que o yuan, também conhecido como renminbi, se aprecie.

Leia mais sobre: China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.