Tamanho do texto

Pequim, 19 dez (EFE).- Embora a China comece a sentir os efeitos da crise financeira internacional, o país não reduzirá sua assistência à África no futuro, destacou o primeiro-ministro Wen Jiabao, citado pela agência de notícias oficial Xinhua.

Wen frisou, durante sua reunião hoje na capital chinesa com o presidente angolano, José Eduardo dos Santos, que Pequim manterá os compromissos estabelecidos durante a cúpula entre China e África de 2006, realizada em Pequim com a presença de líderes de mais de 40 países da África.

Na reunião, o Governo chinês se comprometeu, por exemplo, a dobrar sua assistência à África em 2009, fornecer US$ 3 bilhões em empréstimos preferenciais e estabelecer um fundo de US$ 5 bilhões para estimular as empresas chinesas a investir nesse continente.

A China realiza na África projetos de construção de açudes, estradas, refinarias e outras infra-estruturas, às que a maioria dos países do continente dão boas-vindas, embora com certas reservas em relação aos métodos chineses. EFE abc/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.