Por Aileen Wang e Simon Rabinovitch PEQUIM (Reuters) - A China pediu nesta quarta-feira que os bancos fiquem mais alertas aos riscos decorrentes de seus empréstimos arriscados e que aguardem uma mudança na política, em um sinal de que pode gradualmente começar a retirar os estímulos econômicos adotados por conta da crise financeira mundial.

Os bancos do país precisam ser "razoáveis" em seus empréstimos e evitar um aumento nos empréstimos ruins, disse o principal regulador bancário chinês, Liu Mingkang, em comunicado.

"Você deve rapidamente estabelecer e aperfeiçoar os sistemas de administração de risco e estar atento a possíveis impactos na liquidez do mercado decorrente dos fluxos internacionais de capital, das tendências macroeconômicas e dos ajustes de política", afirmou ele.

Os comentários dele seguem os do presidente do banco central, Zhou Xiaochuan, na semana passada, de que a política monetária muito afrouxada foi uma resposta necessária à crise, mas que não deve ficar em vigência para sempre.

Liu acrescentou nesta quarta-feira que "os riscos aumentaram à medida que o crédito saltou. Precisamos estar atentos a isso e efetivamente administrar os riscos".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.