Tamanho do texto

PEQUIM - O ano de 2009 promete ser difícil em termos fiscais para a China, à medida em que as receitas diminuem e os gastos aumentam, afirmou o ministro de Finanças Xie Xuren em um pronunciamento na TV estatal. Xie disse que a desaceleração econômica acentuada e a redução dos lucros corporativos, assim como os cortes de impostos, contribuíram para a queda das receitas tributárias.

"O problema do desequilíbrio entre receitas e despesas vai ser proeminente em 2009", disse Xie.

A China declarou que irá implementar uma "política fiscal pró-ativa", seu código para ampliação de gastos, com o governo central pronto para lançar um pacote de estímulo de 4 trilhões de iuans (US$ 585,7 bilhões).

A fraqueza nos ganhos corporativos já começou a impactar as receitas governamentais.

A arrecadação tributária caiu 3,1% em novembro frente ao mesmo período do ano anterior, uma forte reversão ante os grandes ganhos registrados no início de 2008.

Xie disse que as receitas fiscais de 2008 ficarão acima de 6 trilhões de iuans, o que implica um aumento de ao menos 17% em relação a 2007.

Leia mais sobre China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.