Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

China Chery planeja cortar 30% de seus postos de trabalho

Xangai, 31 out (EFE).- O fabricante chinês de veículos Chery, um dos que contam com maior presença na América Latina, tem planos para cortar em cerca de 30% seu número de empregados devido às dificuldades que atravessa o setor, causadas pela redução das vendas de automóveis após a crise financeira.

EFE |

O quarto maior fabricante de veículos da China terá que reduzir também parte de sua produção, segundo anunciou o assistente de seu diretor-geral, Jin Yibo, embora não tenha dado números exatos, informou hoje o jornal oficial "Shanghai Daily".

A imprensa do país asiático assegurou que o fabricante, com sede na localidade de Wuhu, na província de Anhui, planeja despedir cerca de 6.000 de seus 20.000 trabalhadores, tanto do seu quadro quanto temporários, devido à grande queda de suas vendas.

Em setembro elas caíram 47%, para 17.997 unidades, muito além da queda das vendas mensais de todo o setor na China, que foi de 1,44%.

Durante o terceiro trimestre de 2008, a Chery vendeu 221.196 unidades, 12% menos que durante o mesmo período do ano anterior, coincidindo com um momento, a partir de agosto e também durante setembro, no qual as vendas de veículos na China caíram pela primeira vez em três anos.

Jin esclareceu que os planos respondem a uma série de medidas de resgate que Chery tomou para combater o problema, mas assegurou que a companhia mantém a confiança em que a situação vai melhorar para 2009, assim como seus projetos para lançar em breve novos modelos ao mercado.

Outros fabricantes presentes na China tiveram que tomar medidas similares pelos mesmos problemas, como Toyota, que suspendeu a produção em uma de suas fábricas na província meridional de Cantão, enquanto a empresa mista Chang'an Ford Mazda teve que anular os contratos de todos seus trabalhadores temporários.

Da mesma maneira, a empresa mista Dongfeng Peugeot Citroën tem planos para cortar cerca de 1.000 postos de trabalho na China. EFE jad/ma

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG