PEQUIM - A China aumentará 17% a oferta monetária (efetivo em circulação, contas correntes e de poupança, ativos quase líquidos) no ano de 2009, segundo anunciou o Conselho de Estado em comunicado divulgado em seu site. O executivo chinês realiza este movimento para estimular o consumo interno, que Pequim considera que deve substituir as exportações como locomotiva da economia nacional.

Este aumento estará entre três e quatro pontos acima do crescimento combinado do Produto Interno Bruto (PIB) e da inflação prevista para o próximo ano. "Devemos fortalecer o papel do setor financeiro em apoio do crescimento econômico através de uma melhor e mais ativa política fiscal e uma política monetária moderadamente aberta", diz o comunicado.

Leia mais sobre: China

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.