Pequim, 23 mar (EFE).- O Governo chinês acusou o Google de ter violado sua promessa escrita e afirmou que é totalmente incorreto que a empresa detenha a censura às buscas de internet em chinês, informou hoje um porta-voz do Escritório de Informação do Conselho de Estado.

A acusação foi feita em resposta ao anúncio feito nesta segunda-feira pela empresa, que vai deixar de censurar suas buscas na China e redirecionar os internautas a seu portal de Hong Kong.

Desde segunda-feira os visitantes do "google.cn" são automaticamente enviados para o "google.com.hk", de Hong Kong.

Com isso, a companhia pretende fugir das restrições de censura impostas pelo Governo do gigante asiático, que é o maior mercado da internet, com 384 milhões de usuários.

"O Google violou a promessa escrita que fez quando entrou no mercado chinês ao deter o filtro de seu serviço de busca", ressaltou o funcionário, que ainda acusou a empresa de ter insinuado supostos ataques de 'hackers'.

A empresa, responsável por mais de 30% das buscas na Internet do país, aceitou há quatro anos aplicar um filtro para operar dentro da China, o que foi criticado pelas organizações de defesa dos direitos humanos. EFE mmp/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.