Santiago do Chile, 26 dez (EFE).- A crise internacional afetará também o turismo chileno, mas não de forma importante, afirmou hoje o diretor do estatal Serviço Nacional de Turismo, Oscar Santelices.

"Vamos crescer, mas não tanto quanto nos últimos anos, que era de dois dígitos" (mais de 10%), disse Santelices, em declarações à rádio "Cooperativa", nas quais indicou que, durante 2008, cerca de 2,65 milhões de turistas estrangeiros viajaram oa Chile e geraram US$ 2 bilhões em receita.

Para 2009, acrescentou, espera-se uma redução de turistas estrangeiros, especialmente os que chegam da Europa, América do Norte e Ásia, enquanto a receita deverá ficar entre US$ 2,1 bilhões e US$ 2,2 bilhões.

Previu, no entanto, que a quantidade de turistas da região, principalmente do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia deve se manter, com o aumento do turismo interno, já que, pela evolução da taxa de câmbio, ficará mais difícil para os chilenos sair do país.

No período de verão, que é a alta temporada do turismo chileno, Santelices se disse otimista e previu um crescimento de 6% a respeito do ano passado, o que representa a chegada de cerca de 750 mil turistas.

O Chile, disse, transformou-se na América do Sul no terceiro destino preferido dos turistas, depois do Brasil e da Argentina.

Além de destacar o aumento na chegada de turistas do Brasil, cerca de 230 mil ao ano, Santelices disse que, apesar da crise, se mantém o número de visitantes argentinos. EFE ns/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.