O chefe de Gabinete da Argentina, Alberto Fernández, decidiu renunciar ao cargo e o fará nesta quarta-feira, o que implicará numa mudança estratégica da administração depois da crise agropecuária de 130 dias.

"Alberto Fernández tomou a decisão de liberar a presidente (Cristina Kirchner) para que possa escolher com absoluta liberdade sua equipe", afirmou uma fonte ligada ao chefe de Gabinete, sem informar quando ele apresentará sua demissão.

Fernández é um funcionário-chave do governo, de alta confiança do casal Kirchner, e que permanecia na chefatura de Gabinete desde 25 de maio de 2003, quando assumiu junto com o ex-presidente Néstor Kirchner (2003/7).

Ele colocou sua renúncia à disposição quando Cristina assumiu em dezembro pasado, mas foi um dos funcionários confirmados em seu posto, marcando a continuidade entre as gestões 'kirchneristas'.

Um dos nomes aventados para substituí-lo é o atual ministro do Interior, Florencio Randazzo, o que significaria outra mudança dentro do Gabinete.

Leia mais sobre agricultura

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.