Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Chefe da Pininfarina morre em acidente de estrada

Por Jo Winterbottom MILÃO (Reuters) - Andrea Pininfarina, chefe da empresa familiar que criou o design de modelos Ferrari, Fiat e da linha Ford Focus, morreu nas primeiras horas da quinta-feira em um acidente ocorrido perto da cidade italiana de Turim.

Reuters |

O empresário dirigia sua lambreta Vespa.

Pininfarina, 51, ocupava os cargos de presidente e de diretor-executivo na empresa de mesmo nome fundada em 1930. Ele era neto do fundador da Pininfarina, Battista 'Pinin' Farina.

Sua morte gerou especulações no mercado sobre a possibilidade de haver, dentro em breve, uma tomada de controle.

'A Itália, a cidade de Turim e o grupo Fiat perderam uma figura empresarial que sabia como dar prosseguimento ao e desenvolver o trabalho de seu avô Pinin e de seu pai, Sergio', disse em um comunicado Luca Cordero di Montezemolo, presidente da Fiat e da Ferrari.

Andrea Pininfarina nasceu em Turim (cidade mais importante da indústria automobilística da Itália), no dia 26 de julho de 1957, e ingressou no negócio da família em 1983, depois de ter se formado em engenharia mecânica.

Ele era casado e tinha três filhos.

A empresa Pininfarina SpA criou o design de Ferraris históricas como a Dino e a Testarossa, dos carros Alfa Romeo para a Fiat e a linha Focus para a Ford .

Em seu site (www.pininfarina.com), a projetista de modelos vangloria-se de sua 'Experiência, Criatividade e Inovação', afirmando ainda ser uma empresa de 'arte, design, inovação. Os carros dos reis'.

A notícia sobre a morte do diretor-executivo gerou boatos de que o controle sobre a empresa -- atualmente nas mãos da família Pininfarina, que detém 55 por cento das ações-- poderia ser repassado dentro em breve.

Na quinta-feira, o preço das ações da empresa subiram tanto que a negociação delas foi suspensa na bolsa de Milão.

'O mercado acredita que o processo de tomada de controle vai acelerar-se', disse um investidor.

A família já pretendia diminuir sua participação a 30 por cento das ações vendendo parte de seus papéis. Esse dinheiro, que pode chegar a 100 milhões de euros (155 milhões de dólares), seria usado para desenvolver um novo carro elétrico a ser lançado em 2009.

O financista francês Vincent Bollore poderia fazer parte do negócio, investindo até 30 milhões de euros.

Entre os outros investidores em potencial incluem-se o filho do fundador da Ferrari e o industrial indiano Ratan Tata.

Na semana passada, Pininfarina selou um acordo com seu banco credor isentando a empresa de pagar um empréstimo de 600 milhões de dólares enquanto reestrutura suas finanças.

A Pininfarina tenta cortar custos em meio à atual fase de contração do mercado automobilístico.

(Reportagem adicional de Francesca Piscioneri em Roma e Alessandra Farina em Milão)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG