Caracas, 17 nov (EFE) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, reconheceu hoje que a queda dos preços do petróleo registrada no meio da atual crise financeira internacional vai afetar a economia da Venezuela, quinto maior exportador mundial de petróleo. Após reiterar que o país está blindado no aspecto financeiro contra a crise mundial pelo fato de o Governo socialista ter se desatrelado do sistema capitalista perverso que a causou, Chávez disse que a economia nacional será afetada, mas pela via do mercado petrolífero. O preço do petróleo venezuelano segue caindo, está em menos de US$ 50, quando há três meses estava acima dos US$ 130, por essa via a crise mundial nos afetará, reconheceu Chávez, em um ato voltado às eleições regionais e municipais do próximo domingo. Mas tenham a certeza de que à frente está Hugo Chávez e um grupo de venezuelanos e venezuelanas que trabalham, que estudam sem descanso. A Venezuela irá adiante, apesar da crise mundial, afirmou o líder a seus seguidores, reunidos em um comício em Valles del Tuy, zona divisória com Caracas.

O barril de petróleo venezuelano perdeu em 14 de novembro US$ 6,61 e fechou com um preço médio semanal de US$ 46,35, de acordo com o relatório semanal do Ministério de Energia e Petróleo. EFE gf/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.