O sétimo encontro trimestral entre Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez foi transformado na última hora numa homenagem à construtora Odebrecht - uma campeã de licitações do governo venezuelano que teve sua imagem chamuscada no semestre passado por acusações do governo do Equador. Chávez mudou o local da reunião para El Dilúvio, projeto de irrigação de US$ 1,2 bilhão tocado pela empreiteira com recursos do BNDES.

Esta não foi a primeira vez que um projeto da Odebrecht financiado pelo BNDES é cenário de encontro entre os presidentes. Em novembro de 2006, ambos estiveram em Puerto Ordaz para inaugurar a segunda ponte sobre o Rio Orinoco. E Chávez foi reeleito 20 dias depois.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.