Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Chávez ameaça fechar as bolsas da Venezuela

Segundo o presidente as bolsas estariam envolvidas em plano para elevar artificialmente o valor do chamado "dólar permuta"

EFE |

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta quinta-feira que está disposto a eliminar as bolsas de valores do país, que, segundo ele, estão supostamente envolvidas em um plano para elevar artificialmente o valor do chamado 'dólar permuta'.

"Se for preciso acabar com todas as casas de bolsa, faremos", declarou Chávez, durante ato oficial em Caracas, onde acusou as instituições de serem instrumentos criados pela burguesia para conduzir o dinheiro do povo.

O líder fez a afirmação ao comentar a aprovação nesta quinta-feira de uma reforma à Lei contra Ilícitos Cambiais que deixa em mãos do Banco Central da Venezuela (BCV) o controle do chamado dólar permuta.

Nesse contexto, Chávez voltou a assinalar que as bolsas fizeram supostos manejos especulativos de bônus nominados ou pagáveis em dólares, emitidos pelo BCV, o que elevou o valor da divisa de forma "irracional".

"Farão falta as casas de bolsa? Quem aqui do povo precisa delas? Não, não fazem falta. Os ricos inventaram um sistema para conduzir os recursos do povo, os recursos do Estado, os recursos do país", afirmou Chávez.

O presidente disse ainda que essa alta artificial do dólar permuta, que afetou de maneira importante a inflação segundo os economistas locais, faz parte de um "plano da burguesia" que persegue gerar "mal-estar" na população e descontente em relação ao Governo "revolucionário" que dirige há 11 anos.

A Venezuela tem um controle estatal de câmbio com duas taxas fixadas pelo Banco Central da Venezuela (BCV): uma preferencial de 2,6 bolívares por dólar para as importações consideradas essenciais, e outra de 4,3 bolívares para o restante das operações.

Também há o chamado dólar paralelo, ou 'permuta', ligado a bônus nominados ou pagáveis em moeda estrangeira emitidos pelo BCV e negociados pelo sistema financeiro, cujo preço chegou a ser o dobro do valor oficial.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG