SÃO PAULO - Diante do agravamento da crise financeira internacional, até mesmo as cervejarias sentiram o abalo em seus negócios, com a inglesa SABMiller anunciando demanda cada vez mais fraca e a dinamarquesa Carlsberg informando que vai acelerar seus planos de reestruturação, o que significará mais demissões. As cervejarias vinham sendo uma opção defensiva para os investidores em tempos turbulentos, cenário que parece estar mudando. A SABMiller informou que a demanda dos consumidores vem sendo afetada pela desaquecimento econômico e que muitos de seus mercados continuam enfraquecendo.

A companhia revelou ainda que o volume de vendas de cerveja cresceu 1% no terceiro trimestre fiscal deste ano, porém caiu 1% em bases orgânicas. As quedas passaram pelo enfraquecimento do mercado europeu, com desempenho ruim da Rússia, onde os atacadistas vêm reduzindo estoques e consumidores têm menos renda disponível.

No caso da Carlsberg, haverá demissões de pelo menos 274 pessoas nas unidades da Dinamarca, Noruega e nos países bálticos, seguindo cortes já feitos na França, Itália e Reino Unido.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.