São Paulo, 10 - O indicador de preço do café conillon (robusta), tipo 6, peneira 13 acima, a retirar no Espírito Santo, teve média de R$ 217,32 a saca de 60 kg em setembro, representando valorização de 1,45% sobre o mês anterior. O indicador de preço para o conillon tipo 7/8, bica corrida, a retirar no Espírito Santo, teve média de R$ 212,87 a saca, com alta de 1,54% no período.

Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), a retração vendedora sustentou os preços do produto no mercado físico brasileiro, apesar do baixo volume de negócios em setembro. O Cepea acrescenta que poucas torrefadoras nacionais apresentaram urgência em fechar novos negócios, por causa da entrega de lotes de robusta negociados antecipadamente. Nesse cenário, boa parte das empresas deu prioridade para a compra de café arábica, para fabricação de seus blends.

Os pesquisadores informam que na segunda quinzena de setembro novas floradas de robusta abriram de maneira satisfatória em boa parte dos cafezais do Espírito Santo, principal produtor do País. Por enquanto, duas floradas principais já ocorreram e uma terceira pode abrir em outubro.

A expectativa é de uma boa produção na temporada 2009/10, cuja colheita inicia no primeiro trimestre do ano que vem. Conforme o Cepea, a partir de agora será essencial clima mais úmido para garantir o desenvolvimento uniforme dos grãos.

Em Rondônia, as floradas também abriram de forma satisfatória em boa parte dos cafezais. Uma estimativa mais segura sobre a porcentagem de flores que vingaram será possível apenas em janeiro, quando os grãos devem apresentar maior grau de desenvolvimento, analisa o Cepea.

Quanto ao Vietnã, maior produtor mundial de robusta, cafeicultores daquele país começam a voltar suas atenções para o início da colheita. A expectativa é que as atividades iniciem em outubro e terminem em janeiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.