A reunião do Comitê de Política Econômica (Copom) que hoje decide como vai ficar a taxa básica de juros (Selic) terá um ingrediente diferente. As centrais sindicais farão manifestações em frente aos escritórios do Banco Central (BC) em todo o Brasil (em nove capitais) pela redução de pelo menos dois pontos porcentuais e a queda do spread bancário, a diferença entre o juro do governo e o cobrado pelos bancos.

As entidades esperam mobilizar os profissionais de setores mais afetados pela crise econômica mundial, como os da indústria automobilística, da construção civil e os bancários.

As manifestações foram organizadas pela Força Sindical, Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e União Geral dos Trabalhadores (UGT). A Central Única dos Trabalhadores (CUT) optou por um ato isolado, mas, como todos escolherem os mesmos lugares para os protestos, deverá haver um encontro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.