México, 19 ago (EFE).- A empresa mexicana Cemex, uma das maiores fabricantes de cimento do mundo, se mostrou cautelosa hoje após a Petróleos de Venezuela S.

A. (PDVSA) tomar o controle de suas instalações no país, medida confirmada em um breve comunicado.

Na nota, enviada nas últimas horas à Bolsa de Valores do México (BMV), confirmou "a tomada do controle operacional" de suas instalações na Venezuela, que representam 3% das operações mundiais do grupo.

No comunicado, a Cemex evita comentar esta decisão do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que, ao anunciar a nacionalização no dia 3 de abril, lamentou que a empresa mexicana e outras duas da Suíça e da França exportassem a maior parte de suas produções em detrimento do mercado local.

A PDVSA tomou o controle das instalações da Cemex, onde não se fabrica apenas cimento, mas também concreto e agregados.

"A Cemex continua sua trajetória de beneficiar quem serve através da constante busca de soluções inovadoras para a indústria, melhoras em eficiência e promovendo um futuro sustentável", acrescentou a empresa no comunicado.

Fontes da companhia mexicana consultadas pela Agência Efe disseram que não comentariam a medida do Governo venezuelano.

A Cemex surgiu em Monterrey em 1906, opera atualmente em mais de 50 países e tem vendas anuais de US$ 15 bilhões. EFE act/wr/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.