Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cemex diz que vai entrar na justiça contra Venezuela

A mexicana Cemex vai entrar na Justiça contra a decisão do governo da Venezuela de tomar o controle das operações da fabricante de cimentos naquele país, após as duas partes não terem conseguido fechar acordo sobre os preços dos ativos. A Cemex classificou a decisão do governo de Hugo Chávez de uma flagrante violação da Constituição e de outras leis venezuelanas e disse que isso mostra uma falta de respeito para com os princípios da lei internacional e para com os tratados relacionados à proteção recíproca dos investimentos.

Agência Estado |

A companhia mexicana disse também em comunicado divulgado ontem que tem a "obrigação, junto a seus acionistas, de defender seus interesses de negócios", mas que está aberta ao diálogo com o governo venezuelano na busca de uma solução justa. A Venezuela anunciou a nacionalização do setor de cimentos em abril e tomou o controle das operações da Cemex na noite de segunda-feira, após não chegar a um acordo com a fabricante.

A Cemex disse que a Venezuela ofereceu US$ 650 milhões pela sua unidade local, valor que foi considerado inaceitável e abaixo da quantia por tonelada de capacidade de cimento que o governo concordou em pagar à francesa Lafarge e à suíça Holcim por fatias majoritárias nas unidades locais dessas empresas. O governo disse que pagará à Holcim US$ 552 milhões por 85% de sua unidade, e US$ 267 milhões por 89% da filial local da Lafarge.

Fontes do governo da Venezuela disseram nesta semana que haviam oferecido US$ 800 milhões para a Cemex, que pedia US$ 1,2 bilhão. A mexicana não disse nada sobre a quantia que estava pedindo. Relatório publicado terça-feira pelo banco Morgan Stanley, com base no preço pago à unidade da Holcim, indica que as operações da Cemex valeriam cerca de US$ 1 bilhão.

O governo de Chávez também assumiu uma postura agressiva nas negociações, acusando a companhia de provocar danos ambientais e de não pagar impostos. Na terça-feira, o ministro de Finanças, Ali Rodriguez, disse que a Cemex Venezuela pode valer até menos que US$ 400 milhões, tomando como base o preço de sua ação. Os ativos da Cemex na Venezuela incluem três usinas com capacidade anual de 4,6 milhões de toneladas. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG