Berlim, 8 mar (EFE).- A feira internacional de informática CeBIT, a maior do mundo, fechou hoje suas portas na localidade de Hannover, no norte da Alemanha, com uma forte queda de público e de expositores, devido à crise econômica mundial.

Os organizadores do evento indicaram que o número de visitantes do evento registrou uma queda de 20%, para cerca de 400 mil pessoas, enquanto o de expositores caiu em 25%, para 4,3 mil.

Acrescentaram que, principalmente, as empresas asiáticas do setor renunciaram à presença na feira em Hannover, que teve também uam redução da superfície de exposição em 20%, para 200 mil metros quadrados.

Chamou especialmente a atenção que grandes consórcios internacionais, como a Toshiba e a Samsung, desistissem de participar do evento.

Apesar de tudo, o presidente da associação de empresários do setor de informática Bitkom, August-Wilhelm Scheer, mostrou-se satisfeito com o desenvolvimento do evento, já que "muitas empresas voltam para casa cheios de encomendas".

Scheer acrescentou que a crise internacional não evitou que a feira "tenha sido um grande sucesso para a grande maioria das firmas presentes", como o confirmou o sensível aumento dos presentes profissionais.

A Bitkom ressaltou, em uma nota, que a crise não afeta o setor de informática na mesma medida que o do automóvel, e que esse mercado, junto com o das telecomunicações e da eletrônica de entretenimento, manterá este ano o volume de negócios alcançado em 2008, que foi de 145 bilhões de euros na Alemanha.

Entre as áreas com as novidades mais interessantes da recém-encerrada CeBIT, estão a internet móvel, a segurança na rede e as tecnologias da informática de caráter ecológico. EFE jcb/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.