Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CE pode ajudar montadoras, desde que respeitem normas ambientais

Bruxelas, 29 out (EFE).- A Comissão Européia chegou a um acordo hoje para ajudar a indústria automobilística a enfrentar a crise financeira, mas sem deixar de cumprir por isso com os objetivos ambientais da UE.

EFE |

O comissário europeu de Empresa e Indústria, Günter Verheugen, afirmou que os fabricantes de carros "estão dispostos a cumprir os objetivos ambientais" e confiam em superar a crise "se adotadas as medidas políticas e econômicas adequadas".

Bruxelas se reuniu hoje com representantes da indústria do automóvel para estudar como conseguir que o setor seja competitivo e ao mesmo tempo respeitoso com o meio ambiente, em um contexto de crise financeira que põe em perigo numerosos postos de trabalho.

O presidente do conselho de administração da Associação de Construtores Europeus de Automóveis (Acea), Christian Streiff, disse que a contração do crédito dificulta o financiamento das operações e a manutenção sos níveis de investimento.

Além disso, os consumidores com dificuldades para conseguir créditos, compram cada vez menos carros Estes fatores, agravados pela crise financeira, põem em perigo a renovação da frota e têm impacto negativo para o meio ambiente e a segurança viária.

A Acea solicitou ajuda de 40 bilhões de euros ao desenvolvimento de novos modelos, proposta ainda estuda pelo Banco Europeu de Investimentos (BEI).

Um grupo de trabalho será criado para fomentar a fabricação de carros "limpos", com representantes da indústria, Estados-membros, ONGs, que examinarão os obstáculos técnicos, legislativos e econômicos e sugerirão soluções a respeito.

Streff também questionou as sanções por emitir dióxido de carbono acima dos níveis permitidos -485 euros por tonelada, segundo ele muito superiores a outros setores industriais.

Como resultado do encontro de hoje, foi aprovado um relatório que inclui 16 recomendações sobre questões como segurança viária, melhora do mercado interno, reestruturação do setor, os incentivos fiscais. EFE mrn/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG