Tamanho do texto

Bruxelas, 9 jan (EFE).- A Comissão Européia (CE, órgão executivo da União Européia) afirmou hoje que é imperativo que o gás russo comece a fluir para os países europeus através da Ucrânia sem mais demora, após alcançado um acordo sobre os detalhes da missão européia de observação que verificará o fornecimento na região.

Em comunicado, a CE indicou que, após o fracasso das negociações com os presidentes da russa Gazprom e da ucraniana Naftogaz, iniciou novos contatos com ambas as partes.

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, falou ontem à noite com o presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, enquanto o comissário de Energia da UE, Andris Piebalgs, manteve contatos com autoridades russas, indica a nota.

A Presidência da UE - nas mãos da República Tcheca - anunciou na quinta-feira que tinha chegado a um acordo com a Rússia sobre as condições de verificação do fluxo do gás pela Ucrânia, o que "deveria permitir" a retomada do envio à Europa.

O anúncio aconteceu após as conversas que o primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek, manteve com o chefe do Governo russo, Vladimir Putin, e com a chanceler alemã, Angela Merkel, depois da falta de acordo registrada antes, em Bruxelas, com os representantes das empresas de gás. EFE rja/an