Tamanho do texto

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) vai oferecer moradias populares com acessibilidade a pessoas com limitação física temporária ou permanente, como portadores de deficiência, idosos, gestantes e obesos. O governador do Estado, José Serra (PSDB), assinou ontem o decreto que prevê a construção dos novos imóveis.

O projeto foi lançado no Salão Imobiliário São Paulo (Sisp) pela Secretaria de Estado da Habitação, e é inspirado no conceito do Desenho Universal, desenvolvido pelo arquiteto americano Ron Mace, na década de 80.

O modelo brasileiro resulta da parceria entre a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea). A largura das portas e corredores foi ampliada de 70 para 90 centímetros para a circulação de cadeiras de rodas. O pé-direito aumentou de 2,40 para 2,60 metros. Os interruptores de luz e janelas foram colocados a 1 metro do chão. Os banheiros são maiores para a fixação de barras de apoio próximas ao sanitário e ao chuveiro, que terão altura adequada para cadeirantes. A altura das pias e tanques diminuiu e agora permite o encaixe para cadeiras de rodas.

O projeto também prevê a instalação de campainhas semelhantes às de hospitais, com sinais sonoros e luminosos para deficientes visuais e auditivos. "A moradia vai acompanhar o envelhecimento da população", diz Linamara Battistella, secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência. As mudanças, no entanto, não vão ser percebidas apenas pelos portadores de necessidades especiais: 50% dos novos imóveis ganharão um terceiro dormitório e as áreas do condomínio também serão maiores, com rampas de acesso e guias rebaixadas.

"Não há grande diferença no preço. Uma moradia sem as adaptações custa R$ 54 mil para o governo, enquanto uma com as modificações sai por R$ 57 mil", avalia o secretário da Habitação, Lair Alberto Soares Krähenbühl. A unidade será vendida por um preço ainda mais baixo, já que a CDHU subsidia os financiamentos. Hoje, o preço de um apartamento varia de R$ 40 mil a R$ 50 mil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.