Tamanho do texto

RIO - A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) e a portuguesa Brisa fecharam acordo para comprar 55% do capital social da Controlar S.A.

, companhia que detém, até 2018, a concessão para implantação e execução do Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso no Município de São Paulo.

Pelo acordo, a CCR desembolsará R$ 121,014 milhões para ficar com uma fatia de 45% do capital social e 50% das ações ordinárias, com direito a voto. Os atuais acionistas ficarão com 45% do capital, sendo também 50% das ações ordinárias. A Brisa, que já é acionista minoritária da CCR, terá 100% das ações preferenciais, equivalentes a 10% do capital total.

A partir deste ano, a Controlar tem a responsabilidade de realizar inspeções e certificações obrigatórias de emissão de poluentes em uma frota estimada em 2,5 milhões de veículos registradas no município de São Paulo. A certificação segue as exigências estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) para carros, caminhões e outros veículos automotores. A tarifa vigente cobrada por veículo é de R$ 52,73 e é reajustada anualmente pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) no mês de fevereiro.

Em fato relevante enviado ao mercado, o diretor presidente da CCR, Renato Alves Vale, ressaltou que a empresa adquirida poderá no futuro se expandir para outras regiões do país, colocando da CCR em uma posição estratégica em um mercado de importância crescente.

"A Controlar permitirá à CCR um melhor entendimento acerca da frota urbana, objeto de estudo da empresa há alguns anos", frisou Vale, no fato relevante.

(Rafael Rosas | Valor Online)