A expectativa é de que as notas de R$ 50 e de R$ 100 cheguem em novembro. As demais estarão disponíveis a partir de 2012

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, mostra as novas cédulas de R$ 50: novos modelos começarão a circular em novembro
AE
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, mostra as novas cédulas de R$ 50: novos modelos começarão a circular em novembro
A Casa da Moeda deu início nesta sexta-feira à produção das novas cédulas de real. Com impressão superior, elementos de segurança e tamanhos diferentes, as notas começarão a circular a partir de novembro. Num primeiro momento estarão disponíveis as notas de R$ 50 e de R$ 100. As demais chegarão ao mercado em 2012.

De acordo com o Banco Central (BC), as novas cédulas vão demorar três meses para chegar ao mercado para dar aos bancos tempo para adaptar as máquinas às novas cédulas e para que o governo possa criar um estoque para distribuir em todo o País. As expectativa é de que as cédulas antigas deixarão de circular dentro de dois a três anos.

A Casa da Moeda e o Banco Central estão desenvolvendo as novas cédulas de real há sete anos. Para produzir as novas notas, a Casa da Moeda investiu na modernização do seu parque fabril. Hoje, ela é capaz de produzir qualquer moeda do mundo, até mesmo o dólar e o euro.

As novas cédulas do real têm as mesmas cores e os mesmo animais das antigas. As semelhanças, no entanto, param por aí. As novas notas vão atender à demanda dos deficientes visuais e, assim como o euro e a libra, terão tamanhos diferentes. Ou seja, a nota de R$ 2 é a menor, a de R$ 5 é um pouco maior e assim por diante.

As mudanças no aspecto foram acompanhadas de mudanças nos elementos de segurança. As cédulas de R$ 50 e R$ 100 ganharam uma faixa holográfica com desenhos personalizados por valor. Segundo o BC, esse é um dos mecanismos anti-falsificação mais sofisticados disponíveis no mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.