WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca e os democratas no Congresso se aproximavam de uma acordo nesta segunda-feira sobre a proposta de 15 bilhões de dólares para regatar as montadoras norte-americanas, um plano que irá ampliar os empréstimos e deixar decisões importantes sobre reestruturações para o próximo governo. Segundo o esboço do projeto, obtido pela Reuters, um czar do setor automotivo será designado para supervisionar o pacote de resgate e será requerido que cada montadora --Chrysler, Ford e GM-- entregue um plano de reestruturação até 31 de março.

Este irá permitir ainda que o governo detenha ações preferenciais e ordinárias das companhias e acerte os termos para os empréstimos com duração de sete anos a 5 por cento e após cinco anos a 9 por cento.

O esboço do projeto afirma que a ação é necessária para "estabilizar a economia dos EUA" e para "restaurar a liquidez e estabilidade" da indústria automobilística norte-americana.

O Congresso deve considerar o projeto nesta semana para impedir a ameaça de colapso da General Motors e Chrysler, salvando milhares de fábricas e milhões de empregos relacionados durante a piora da recessão norte-americana.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.