Shoppings reforçam seus quadros e capacitam vendedores com pouca bagagem na área para evitar apagão de mão-de-obra qualificada

Como acontece todos os anos, o comércio começa em setembro e outubro a se preparar para um dos períodos de maior faturamento do setor. E a largada já foi dada pelos shoppings centers que deram início a contratação de funcionários temporários, de olho no aumento das vendas de fim de ano. Serão quase 113 mil novos postos de trabalho no comércio em todo país, segundo previsão da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop).

Entretanto, a dificuldade de encontrar gente qualificada tem levado alguns grupos a buscar cursos e treinamentos com o objetivo de capacitar profissionais inexperientes. Diante da alta competitividade do mercado, quem sair na frente pode se destacar da concorrência, explica Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.  Isso porque, segundo ressalta, apesar do movimento estar ganhando fôlego, muitos shoppings ainda não se deram conta da importância de investimentos como esses. Principalmente, em relação ao impacto positivo no faturamento, diz.

Investimentos e oportunidades
Após inaugurar, em abril, uma área expandida que gerou 2 mil novos empregos, o Shopping Taboão, localizado na Grande São Paulo, constatou que, para preencher essas vagas, os lojistas teriam de remanejar vendedores de outras unidades.  Vimos que as pessoas da região não estavam preparadas para atender o consumidor e, pior, não eram familiarizadas com o funcionamento de um shopping revela Carlos Santos, gerente de marketing do centro de compras.

O projeto recebeu o nome de Curso de Formação e Habilitação de Vendedores para o Varejo e foi implantado em julho deste ano. Ele visa capacitar, aproximadamente, 300 vendedores em dois meses. Até, agora, 60 pessoas participaram do programa.

Os interessados devem se inscrever na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Taboão da Serra para receber aulas gratuitas sobre técnicas de vendas, etiqueta, comportamento, além de dinâmicas de atendimento. Para se cadastrar é necessário estar desempregado ou em busca do primeiro emprego, ter concluído ou estar cursando o ensino fundamental, possuir carteira de trabalho e morar na cidade de Taboão da Serra.

Os alunos terão seus currículos incluídos no banco de dados da Associação de Lojistas do Shopping Taboão e no balcão de empregos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do município. Ao contratar jovens que encontram maior dificuldade em conseguir trabalho com carteira assinada, também ajudamos a contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região, explica Santos.

Apesar de o Sudeste abrigar os principais pólos comerciais do país, centros de outras regiões também estão preocupados com a qualidade do atendimento de suas lojas para o  Natal. O  Praia Shopping, em Natal, no Rio Grande do Norte, firmou parceria com o Senac RN para oferecer cursos e palestras nas áreas de vendas, atendimento e visual mershandising (explicar), voltados a lojistas e funcionários do shopping, entre setembro e outubro.

Neste caso, os interessados desembolsam de R$65 a R$ 95 ¿ cerca de 50% do valor do curso dado na sede do Senac.(o Senac tem no Brasil inteiro. Ele fornece cursos para formar lojistas? Se a resposta for afirmativa, acho que vale a pena explicar aqui e dar link para o site)  Em média, eles têm 15 horas de aulas e no término do treinamento recebem uma certificação. A expectativa de Daniele Leal, gerente de marketing do Praia Shopping, é de que os lojistas aproveitem para reciclar e conhecer novas técnicas a serem utilizadas durante as vendas de Natal. As aulas são ministradas no shopping, em horários diferenciados, para que todos possam participar, diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.