Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

Qual é o seu talento?

Para consultoras, comprometimento é tão importante quanto aptidão

Maria Carolina Nomura, iG São Paulo |

Em grandes empresas, muito se fala em programas de retenção de talentos. Mas, o que é, então, talento? É uma aptidão ou um dom específico de um profissional? Ou é um conjunto de fatores que definirão se alguém leva jeito para o trabalho?

Segundo Marisa da Silva, consultora da Career Center, especializada em gestão estratégica de carreiras e recursos humanos, talento é um termo utilizado para indicar uma habilidade para executar uma ou várias atividades.

No passado, também era tratado como dom ou vocação, dando a conotação de algo inato. Uma pessoa pode ter vários talentos, ou habilidades, que somadas ao conhecimento e atitudes podem se transformar em competências. Pessoas que conseguem desenvolver as competências tendem a se destacar da maioria que direciona as energias para o cumprimento das atividades, explica.

Plural - Já para Renata Damásio, consultora da Cia de Talentos, definir talento é um desafio porque as potencialidades humanas podem ter diversas interpretações, de acordo com o contexto histórico e cultural.

Hoje em dia, entre as muitas definições do termo, entende-se por talento o conjunto de habilidades que compreende dons, conhecimentos, experiências, atitudes e impulsos natos, aliados a uma forte capacidade de aprender e desenvolver-se, ensina.

Topo - Mas só talento não é sinônimo de sucesso, afirma Renata. Para a consultora, é preciso que o profissional vá além de identificar suas principais habilidades e competências (talento). É necessário que ele reflita sobre o que ele entende por sucesso profissional e verifique se o seu talento está alinhado a isso que almeja; caso contrário, ele estará remando contra a sua própria maré, analisa.

Renata diz ainda que é importante que o profissional saiba aplicar seu talento no seu dia a dia, que consiga imprimir sua marca em atividades rotineiras, e para isso, será necessário muito comprometimento e vontade de adaptar suas habilidades à realidade da empresa para qual trabalha.  

Espaço - Marisa, da Career Center, complementa dizendo que não adianta o profissional ter todos esses atributos se a empresa não lhe dá espaço para se desenvolver. Deve existir o preparo e a oportunidade para as coisas acontecerem. As empresas que não investiram no capital humano ou que não viram a importância de reter os profissionais diferenciados podem ficar em desvantagem, comenta. 

Apesar de não ser uma regra, geralmente, os jovens é que são nomeados como esses tais talentos das companhias, afirma Renata. Quando o jovem se depara e identifica seus diferentes talentos, ele costuma usar sua energia vital em excesso e sua vontade de transformar as coisas ao seu redor para pôr em prática suas habilidades, por isso, então, existe essa valorização do jovem quando se referem ao conceito de talento.

Leia também:
- Programas de gestão de talentos são estratégicos para manter o comprometimento na crise
- 'Seu currículo é bom demais para a vaga'
- Retrato nu e cru do mundo corporativo

Leia mais sobre empregos

 

Siga o iG Empregos no Twitter

 

Receba as atualizações do iG Empregos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG