Especialistas aconselham a evitar o assunto para não colocar em risco a imagem na empresa

Há poucos dias da eleição é comum que as conversas girem em torno de política, mas quando o cenário é o ambiente de trabalho o melhor é ficar longe do tema, segundo especialistas. Confirmando a famosa máxima de que futebol, religião e política não se discutem, consultores de carreira recomendam manter distância de polêmicas. “A regra é sempre a discrição porque na empresa há pessoas de todos os partidos”, afirma Rosana Bueno, psicóloga, palestrante e coaching.

De acordo com ela, manifestar suas escolhas pode levar os colegas a julgar o profissional e a criar uma imagem dele com base nisso. “Não vale a pena correr o risco”, diz. Rosana destaca que essa regra vale inclusive fora dos limites físicos do escritório, ou seja, até na hora do almoço ou em um happy hour. “Ambiente de trabalho é todo lugar onde tem alguém com quem o profissional trabalha.”

Dizer que não gosta de política pode passar a imagem de uma pessoa desinteressada
Foto: Nelson Jr./ASICS/TSE
Dizer que não gosta de política pode passar a imagem de uma pessoa desinteressada
Para a consultora outras manifestações partidárias, como uso de camisetas ou de broches, são inadequadas. “Não se deve levantar a bandeira de um candidato, ainda que ele seja seu pai”, diz.

Observar o comportamento dos chefes também ajuda a avaliar qual o melhor posicionamento. Além disso é importante é não debater o assunto apaixonadamente. “Querer impor a preferência política ou entrar em discussões podem fazer com que a pessoa seja classificada de desagradável ou imatura”, alerta Silvio Celestino, da Alliance Coaching.

Neutro sim, alienado não

Se a discussão vem à tona, dizer que não gosta de política não é a saída mais recomendada. “A melhor forma é emitir sua opinião demonstrando sua preferência, mas de forma neutra, ou, se tiver a oportunidade, não se manifestar”, diz Celestino. Ele explica que dizer que não se envolve com política pode passar a mensagem de que é uma pessoa desinteressada.

Para Rosana, o profissional deve deixar claro que tem sua opinião, mas que não se sente à vontade para discutir isso no ambiente de trabalho. “Principalmente quando o chefe começa a discussão sobre política, o melhor é ouvir mantendo imparcialidade”, diz Celestino. “Se o profissional adota uma postura de credibilidade e maturidade, isso só reforça sua imagem na organização”, conclui o especialista.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.