Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

O que fazer para transformar o trabalho temporário em permanente

Especialistas dão dicas de como se destacar nas oportunidades de fim de ano

Andrea Giardino |

Todo fim de ano é sempre a mesma coisa. Milhares de jovens vão em busca de oportunidades para atuar como temporários. Principalmente, porque esta acaba sendo a grande chance de conquistar o tão sonhado emprego fixo.

Mas, o que fazer para chegar lá? Em primeiro lugar, quem quer ser efetivado nunca deve faltar ou chegar atrasado no trabalho. É o que recomenda Luciana Querino, gerente da Manpower, empresa de seleção. Acima de qualquer coisa, o temporário precisa encará-lo como um emprego permanente, ter força de vontade e interesse, afirma.

Iniciativa é outro pré-requisito. Não basta fazer suas atividades e ficar esperando que os superiores passem novas tarefas, afirma Liliana Notarrigo, gerente de RH da Allis, que também é especializada na contratação de profissionais. O candidato deve estar sempre atento, propor ações, vestir a camisa da empresa.

Ou seja, é a partir de sua atitude e desempenho que o empregador passa a considerar a possibilidade de contratá-lo. Por isso, tanto Luciana quanto Liliana recomendam que o profissional marque presença durante o período em que está no emprego temporário. Inclusive para que sejam lembrados mesmo após o término do contrato.

Muitas vezes, quando passam as festas de final de ano, não há vagas novas, época em que as vendas costumam cair, ressalta a gerente da Manpower. Mas se o temporário se destacou, virá à mente do recrutador no momento que uma oportunidade surgir. Há ainda casos em que esse profissional acaba substituindo um antigo funcionário que não estava correspondendo mais às expectativas, observa Liliana.

Segundo ela, a recolocação dos temporários costuma ser grande. Na Allis, em 2007, o índice de efetivação entre os temporários que foram selecionados pela consultoria foi de 20%. Enquanto na Manpower, esse número chegou a 35%.

Embora ninguém arrisque prever como será o cenário diante da crise, as agências acreditam manter os mesmos patamares. E a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) espera que sejam abertas 113 mil vagas em todo o País.
 
 

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG