Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

O que é mais importante experiência ou preparação?

Saber utilizar essas ferramentas define sucesso profissional, diz consultora

Maria Carolina Nomura, iG São Paulo |

Ao questionar uma candidata a estágio sobre o que ela trazia de bagagem de um intercâmbio cultural, Viviane Ovanessian, gerente de projetos da DMRH, ouviu um categórico “duas malas”. Naquele momento, ficou claro para a consultora que o mais importante para uma carreira não são as experiências que se têm ou o preparo acadêmico, mas sim, o que se faz com essas duas ferramentas. “É primordial refletir sobre o que determinada vivência ou estudo agrega na carreira. Isso traz amadurecimento”, comenta Viviane.

“Hoje, os estudantes que se candidatam a vagas de trainee, por exemplo, são muito bem preparados. Eles pensam na aplicabilidade do que aprendem na faculdade e com isso conseguem entender muito facilmente como funciona o mercado de trabalho”, explica.

José Dionísio
Experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa
Maturidade

A psicóloga acrescenta que para aqueles que não estudam em faculdade de primeira linha ou que tiveram de trabalhar desde cedo, a experiência é útil porque permite compreender mais rápido o que significa a vida corporativa.

Rodrigo Silveira Campos, de 22 anos, é formado em publicidade, fez intercâmbio de seis meses nos Estados Unidos, mas nunca trabalhou. “Fiz um estágio quando estava na faculdade, mas optei por me dedicar mais aos estudos. Agora, tenho dificuldade de encontrar trabalho por falta de experiência profissional”, conta. A opção, diz, será candidatar-se às vagas de trainee ou buscar posições em companhias de menor porte.

Perfil

Apesar de tanto experiência quanto aprendizado acadêmico serem fundamentais para a um bom profissional, cada carreira traça o perfil do profissional mais procurado. Em economia, por exemplo, a formação continuada, ou seja, pós-graduação, mestrado e doutorado são essenciais para quem quer se destacar, avalia Flávio de Rezende, diretor do Departamento de Pesquisa do Corecon-SP (Conselho Regional de Economia de São Paulo).“Em nossa carreira é necessário um perpétuo desenvolvimento, porque as mudanças do cenário econômico precisam ser acompanhadas de perto”, afirma.

Já para profissionais formados em Administração, ter um título de MBA (Master in Business Administration) chama a atenção no currículo, mas o documento de nada adiantará se a experiência profissional não for sólida. “Para que ele até consiga aproveitar esse MBA, ter algumas vivências em gestão são fundamentais. Do contrário, ele estará perdendo o tempo”, diz Viviane.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG