Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

Hora da despedida exige calma e discrição

Profissional deve ter cuidado para não deixar uma marca negra em seu currículo ao sair do trabalho, alerta especialista

Rachel Sciré |

Basta a notícia se espalhar que o clima de demissão toma conta da empresa. Com a saída de um colega, muitas pessoas ficam chateadas ou entram em pânico, temerosa de serem os próximos da lista. Perder o emprego tem uma representação psicológica muito forte, afirma a psicóloga organizacional e consultora empresarial, Rosana Bueno, de São Paulo.

O momento é mais complicado ainda para quem tem que sair da empresa. Segundo especialistas, na hora da despedida o profissional precisa ter cautela para evitar alguns comportamentos que possam marcá-lo negativamente. Como o mercado de trabalho é pequeno e as pessoas se comunicam, essas atitudes podem afetar uma contratação futura.

Para ilustrar, Rosana conta a história de um conhecido que saiu do último emprego brigado com o chefe. Depois de um tempo tentando, sem sucesso, se recolocar, o profissional teve de apelar para um pedido de desculpas e solicitou a ajuda do antigo empregador para encontrar uma posição. Deu certo - e só assim ele conseguiu voltar ao mercado.

A consultora conversou com o iG Empregos sobre outras atitudes importantes durante o desligamento. Veja as dicas a seguir.

Mantenha a compostura
A melhor atitude que a pessoa demitida pode ter é sair da empresa de cabeça erguida, diz Rosana. Mesmo que se sinta triste ou injustiçado, o profissional não deve falar mal do antigo emprego ou chefe. O desabafo dentro da empresa pode refletir mais para frente. Nada garante que você não irá trabalhar de novo com algum colega ou com a pessoa que o está demitindo agora.

Evite comentários
Antes de comentar a sua saída com os colegas, peça autorização para quem está demitindo, sugere a consultora. Muitas vezes, o empregador prefere manter sigilo da decisão, para não gerar pânico ou descontentamento na empresa. Quando for contar aos colegas, o ideal é notificar aqueles que trabalharam diretamente com você para tentar abrir caminhos. Ainda assim, convém ser discreto. Fale de um modo racional e não dê muitas explicações, diz.

Não deixe as tarefas pela metade
Continuar as tarefas até o instante da saída vai depender do que for combinado com o empregador. Se ele quiser que você termine uma atividade, esforce-se e cumpra o pedido. Lembre-se de que o mercado é pequeno. Deixar as coisas pela metade pode denegrir sua imagem, explica a consultora.

Seja correto no momento de fazer a transição
Seja superior à raiva, mágoa ou vingança, diz Rosana. A pessoa que está demitindo irá se surpreender com seu equilíbrio. Assuma a demissão e não tente tirar vantagem ou levar informações na manga. Na hora de fazer a transição do cargo, passe integralmente as tarefas ao novo funcionário e coloque-se à disposição para ser contatado ou esclarecer dúvidas no futuro.

Notifique clientes e parceiros
Pergunte ao seu superior qual é a melhor maneira de avisar os clientes, parceiros ou colegas que trabalham em outras áreas. Em alguns casos, a própria empresa se ocupa de comunicar a saída dos funcionários. Em outros, pede aos empregados que façam a transição. Nesse caso, uma das opções mais comuns é escrever um e-mail de desligamento (leia aqui como redigir).

Peça feedback
Aproveite o momento para conversar com colegas e superiores e descobrir no que é preciso melhorar, mesmo que a demissão não tenha acontecido por uma insatisfação com seu trabalho. Pode ser uma grande oportunidade de crescimento profissional, então peça dicas para se tornar mais competente no futuro. E por que não pedir ajuda para a pessoa que o demitiu? Segundo a consultora, ela saberá para quem indicá-la no mercado.

Hora da despedida
Despedir-se da empresa inteira ou passar de mesa em mesa talvez seja um pouco constrangedor. Porém, se você está enfrentando o fato numa boa, pode marcar alguma despedida, um almoço. Segundo ela, os amigos mais próximos podem realizar alguma homenagem, fora do local de trabalho.

Adeus não, até logo
Se for liberado do aviso prévio pela empresa, aproveite para se organizar e ir em busca de outras oportunidades. No entanto, não deixe de manter o vínculo com os colegas. Marque almoços, encontros e até visitas, fala Rosana. A demissão é o momento do networking.

Leia tudo sobre: ig empregosig empregos carreira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG