Apesar de algumas empresas já utilizarem meios como comunidades virtuais, os principais métodos de seleção são tradicionais

As famosas indicações e os já conhecidos websites como Catho e Vagas.com seguem no topo da lista de ferramentas utilizadas pelas companhias inovadoras para encontrar seus novos talentos.

Quem quiser ser um “partner” na Starbucks, como a rede chama seus funcionários, pode preencher uma ficha de inscrição em uma das unidades ou ficar atento aos avisos de vagas no site da empresa ou nos meios impressos. “Usamos anúncios em jornais quando fazemos grandes recrutamentos”, diz Priscila Landgraf, gerente de treinamento da Starbucks.

A Totvs, maior empresa de software do País, concentra sua seleção de candidatos em sites bastante convencionais, além de receber indicações dos próprios funcionários. “Para a área de tecnologia, estamos trabalhando com sites de relacionamento, Facebook e Twitter, mas ainda é uma prática nova”, afirma Maria de Fátima Albuquerque, diretora da recursos humanos da Totvs.

Na hora de selecionar, a Accor Services também faz parceria com consultorias que utilizam sites como Catho Online, Vagas.com e Curriculum.com.br. Mesmo assim, a gerente Carmo Pina destaca a importância de uma boa rede de relacionamentos. “Divulgar boca a boca ainda é uma das melhores ferramentas”, aconselha.

Parcerias com universidades seguem em alta

Após a análise do currículo, geralmente os candidatos precisam passar por uma série de etapas, processo que também ocorre na 3M. “No telefone buscamos medir a facilidade de comunicação, a expressão; na dinâmica, é a interação, o relacionamento. Na entrevista, é possível descobrir se a pessoa está alinhada com a necessidade da empresa ou não”, diz José Fernando do Valle, responsável pelo setor de RH. O processo seletivo da 3M conta também com um teste de criatividade, que avalia, entre outros aspectos, raciocínio lógico e planejamento.

Outro método antigo ainda utilizado pela maioria das empresas para recrutar talentos é a parceria com universidades. Para conhecer mais os candidatos, a Chemtech, que presta consultoria e serviços em tecnologia da informação, oferece um treinamento de dois dias no qual, além de cursos, os participantes fazem testes e passam por entrevistas. “É um processo seletivo disfarçado”, diz Denise Cardoso, diretora de RH.

Redes sociais e fóruns online já começam a ser utilizados

Apesar de a maioria das empresas ainda utilizar meios tradicionais para selecionar candidatos, alguns processos começam a se adaptar à nova geração de profissionais. Para indicar pessoas com potencial para uma vaga, por exemplo, os funcionários buscam colegas em suas próprias redes virtuais.

De acordo com Ana Maria Souto Maior, gerente de Capital Humano do C.E.S.A.R, instituto especializado em comunicação e tecnologia da informação instalado no Recife, a internet é constantemente utilizada pela área de recursos humanos. A empresa costuma procurar os futuros funcionários em fóruns sobre áreas relacionadas ao C.E.S.A.R e em sites de relacionamento. “Nós lançamos algumas vagas essa semana no Twitter e já recebemos mais de 30 currículos interessantes para serem analisados”, diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.