Tamanho do texto

Total de profissionais sem ocupação em outubro é estimado em 2,7 milhões, 141 mil a menos do que o mês anterior

São Paulo - A taxa de desemprego nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) caiu para 13,4% em outubro, ante 14,1% em setembro. É o menor índice registrado para o mês desde 1998, de acordo com o levantamento divulgado nesta quarta-feira (26). 

As exceções foram o Distrito Federal, cuja taxa oscilou de 15,8% para 16% entre setembro e outubro, e Salvador, que registrou um aumento de 19,7% para 20,4%.

O contingente de desempregados nas seis regiões foi estimado em 2,698 milhões de pessoas, 141 mil a menos do que setembro. Já o número de ocupados nas seis regiões foi calculado em 17,484 milhões de pessoas e a População Economicamente Ativa (PEA) em 20,181 milhões.

Em outubro, o nível de ocupação cresceu em Recife (2,3%), São Paulo (1%) e Porto Alegre (0,8%). Quase não houve variação em Belo Horizonte. Em São Paulo, o desemprego na região metropolitana caiu para 12,5% em outubro, ante 13,5% de setembro. No mês passado, o contingente de desempregados foi estimado em 1,317 milhão de pessoas na capital -- 108 mil a menos do que em setembro.

Renda - Entre agosto e setembro a renda dos ocupados (com e sem carteira assinada) sofreu uma queda de 1% para R$ 1.205 em São Paulo. O rendimento dos assalariados (apenas com carteira assinada) caiu 0,8% para R$ 1.225. Em relação a 2007, os rendimentos médios reais de ocupados caíram 1%, e dos assalariados 4,9%.

Já no conjunto das seis regiões, entre agosto e setembro deste ano, o rendimento médio real dos ocupados caiu 0,5% (para R$ 1.167) e o dos assalariados recuou 1%, para R$ 1.215.