Aulas procuram desmistificar os quadros mais comuns ¿ a síndrome de Down, a paralisia cerebral e outras ¿ apontando possibilidades de atuação para o professor

São Paulo ¿ O primeiro e maior obstáculo para que pessoas portadoras de deficiências possam ter acesso ao conhecimento oferecido na escola é a inadequação da abordagem, que, em geral, leva a subestimar suas possibilidades, pois está permeada de concepções expressas no cotidiano das relações sociais, das quais o chamado deficiente participa.

Partindo da discussão do conceito de deficiência e enfocando o modo como o deficiente e a educação especial têm sido tratados no Ocidente, este curso oferecido pela PUC-SP, por intermédio da Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão (Cogeae), procurará desmistificar os quadros mais comuns ¿ a síndrome de Down, a paralisia cerebral e outras ¿, apontando possibilidades de atuação para o professor.

O enfoque central das atividades será a motricidade, pois é nela e por ela que se viabiliza a interação do sujeito com o mundo. Vivenciando e compreendendo possibilidades concretas de interação com o deficiente que envolvem a motricidade, o professor poderá vislumbrar formas de comunicação e intervenção que lhe possibilitarão mobilizar as possibilidades de desenvolvimento e aprendizagem de alunos que apresentam quadros de deficiência.

Dois palestrantes portadores de deficiência abordarão os limites e as possibilidades de pessoas deficientes.

Dirigido a professores de Educação Infantil e do Ensino Fundamental; estudantes de pedagogia e educação física, o curso tem início em 27 de Abril e aulas sempre as segundas-feiras, das 19 às 22 horas na Unidade Cogeae Consolação, que fica na Rua da Consolação, 881 - Consolação - São Paulo.

Mais informações e inscrições: (11) 3124-9600, www.pucsp.br/cogeae e infocogeae@pucsp.br

Leia também: iG Empregos - Cursos

Assine o RSS

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.