Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

Currículo na internet pode ser vulnerável a roubo de dados

Especialistas recomendam cuidado no envio de informações pessoais

Isis Coelho |

Uma pesquisa divulgada semana passada pela iProfile, empresa britânica de recrutamento, chamou a atenção daqueles que procuram emprego com a ajuda da internet. O estudo revelava que informações pessoais contidas em currículos enviados por e-mail eram passíveis de ações criminosas.

 

A constatação foi feita após a companhia publicar anúncio falso de emprego em jornal londrino. A iniciativa foi realizada em conjunto com a polícia local para descobrir a vulnerabilidade desse tipo de prática. Resultado: das 107 pessoas que mandaram currículos, 91,5% incluíram endereço completo e uma chegou até a colocar o número do passaporte.

 

De posse desses dados, estelionatários podem abrir contas bancárias ou solicitar cartões de crédito de maneira fraudulenta, explicou Rick Bacon, chief executive officer (CEO) da iProfile, em um comunicado oficial. O mais curioso é que, de acordo com a empresa, aqueles que fizessem uma busca na rede pelo nome da companhia encontrariam um site explicando que nem a empresa e muito menos a vaga existiam.

 

Diante deste cenário, especialistas recomendam o máximo de cuidado. Antes de inserir qualquer tipo de dado pessoal ¿ informações essenciais para os processos de seleção ¿ é aconselhável fazer uma pesquisa prévia sobre a veracidade da oportunidade oferecida. Ficamos chocados ao descobrir que as pessoas mandaram seus currículos para o anúncio falso sem ao menos saber se a empresa realmente existia, disse Bacon. 

 

Para Fernanda Brunetto, gerente da Allis, empresa paulista especializada na seleção de profissionais, esse tipo de investigação é fundamental. Ligar ou escrever para perguntar sobre mais informações são maneiras de proteger sua identidade, diz.

 

A consultora atenta ainda para outros aspectos que podem minimizar os riscos de se cair numa armadilha. Muita gente coloca dados como RG, CPF, número do título de eleitor, lembra. São informações desnecessárias em um processo de seleção e, portanto, devem ser omitidas em um currículo.


 

Leia tudo sobre: currículosig empregos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG