Tamanho do texto

Programas de educação executiva podem ser a chave para quem quer ascender na carreira. Mas é preciso muita cautela ao selecionar a instituição de ensino

Logo que surgiram no Brasil, na década de 90, os cursos de MBA (do inglês Master in Business Administration) viraram febre entre os executivos. O título rapidamente passou a ser considerado sinônimo de ascensão na carreira. Entretanto, a proliferação desordenada dos programas pelo país acabou gerando discussões sobre a qualidade das aulas e o nível do corpo docente.

Embora os MBAs ainda sejam alvo de críticas, o formato mostrou que veio para ficar. Eles acabaram se tornando essenciais para aqueles que desejam não apenas se atualizar, mas também dar um salto profissional, afirma Alberto Fischmann, coordenador dos cursos de MBA da Fundação Instituto de Administração (FIA).

Em alguns países, o MBA é classificado como mestrado, uma pós-graduação stricto sensu. Já no Brasil, o MBA tem o caráter de especialização lato sensu. A grade curricular, que na maioria das escolas é de até dois anos, trata de assuntos como contabilidade, marketing, planejamento estratégico, finanças, sistemas de informação, direito, estatística, recursos humanos, micro e macroeconomia.

As escolas costumam ainda oferecer palestras com altos executivos e profissionais de renome no mercado para ajudar a atualizar e capacitar os estudantes, de acordo com as exigências do mercado. É o caso do Ibmec São Paulo e da Fundação Getulio Vargas.

Antes de decidir por um curso, no entanto, é preciso avaliar até que ponto ele se ajusta a seus planos. O executivo que procura uma formação complementar deve olhar as ofertas disponíveis para não desperdiçar o investimento, que na maioria das vezes é bem alto, aconselha Fischmann.

Por não serem fiscalizados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão do Ministério da Educação (MEC) que avalia e regula os mestrados e doutorados, é aconselhável ao interessado procurar uma instituição reconhecida no mercado. O MEC apenas autoriza e credencia as faculdades a oferecer os cursos em nível de especialização. Lista que pode ser encontrada no site www.capes.gov.br.

Um MBA consistente e certificado pode alavancar a carreira de um profissional e garantir um aumento em sua remuneração, diz Marcelo Mariaca, sócio-diretor da Mariaca Consultores, empresa que atua nas áreas de recrutamento de executivos e transição de carreira.

Ao contrário daqueles que fazem pós-graduação stricto sensu, o estudante que conclui o MBA não pode lecionar em uma faculdade e não consegue seguir direto para o doutorado. O MBA é um curso que desenvolve as habilidades práticas do executivo para que ele obtenha sucesso no mercado profissional, analisa Fischmann.

Embora não exista hora certa, nem idade limite para iniciar um curso de MBA, a maioria das escolas exige experiência prévia no mercado de trabalho. As pessoas que procuram o programa, normalmente ocupam cargos de média a alta gerência e já têm uma carreira mais ou menos solidificada, afirma Maria Ester Pites da Cruz, gerente do Ibmec Carreiras de São Paulo.

Por isso, o curso pode representar uma oportunidade única de construir uma excelente rede de networking. Os alunos têm a chance de trocar experiência com os professores, além de adquirir uma visão ampla do mercado, ressalta Maria Ester.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.