Profissional deve ter conhecimentos de geografia a matemática


Se para alguns, estudar o mapa da região onde se vive ou se trabalha é apenas uma curiosidade disponível na internet, para outros, é um trabalho que vem sendo cada vez mais demandando. O nome do profissional que tem essa tarefa é especialista em geomarketing.

Segundo Eduardo Freitas, editor do portal MundoGEO e autor do blog GeoDrops que tem a matéria como tema central, o profissional de geomarketing usa bases cartográficas, informações socioeconômicas de uma região e dados transacionais dos clientes para gerar análises avançadas e responder perguntas como: abro ou não uma loja neste local? Expando ou não minha rede? Mudo ou não o perfil do meu estabelecimento?

Tudo isso é possível com uma ferramenta chamada Sistema de Informação Geográfica (SIG, ou GIS na sigla em inglês). Os SIG integram todas essas informações e permitem fazer análises espaciais, gerando mapas temáticos com manchas ou pontos que ajudam os executivos a tomar decisões com maior precisão, explica.

Vagas - Para Freitas, há oportunidades de trabalho em todos os setores da economia, de grandes corporações a pequenos negócios. Cada vez mais, empresários estão levando em conta o fator localização para tomar suas decisões estratégicas. Os desafios da profissão residem no fato de que uma análise de geomarketing não é algo trivial, como abrir o Google Earth e traçar uma rota. Isso envolve várias disciplinas, como geografia e estatística, e disciplinas avançadas como análise espacial, mineração de dados, modelação, entre outras, diz.

Antes de ser um especialista em geomarketing, o profissional é um consultor de marketing. Tem que estar acostumado a trabalhar com números, tabelas e saber calcular o potencial de consumo de determinada região, explica Wagner Pacífico, gerente de marketing da Multispectral , que produz mapas digitais. 

Localização - O consultor de marketing Fernando Silval, concorda e acrescenta que não adianta ter muitas informações em mãos, sem saber quais são os dados que importam na análise que será feita. Uma decisão incorreta sobre a localização promove uma série de erros em cascata sobre o produto, preço e promoção, o conhecido mix de marketing, comenta.

Para o administrador Dalton Araújo, de 42 anos, que teve uma franquia de escola de inglês na região de Santo Amaro, São Paulo, um dos erros cometidos ao montar o negócio foi não ter feito um estudo de marketing geográfico.

Acho que essa ferramenta é importante não só para saber se o posicionamento do empreendimento está correto, mas também como as pessoas daquela região vão consumir esse produto. Na época, achei que o franqueador faria esse tipo de análise, o que não ocorreu, lamenta.

Leia também:
- Geomarketing é tema de seminário em São Paulo
- Abrir sua própria empresa ainda é um bom negócio
- De entregador de leite a empresário

Siga o iG Empregos no Twitter

Receba as atualizações do iG Empregos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.