Tamanho do texto

Apesar de não existir uma fórmula mágica, dicas direcionam candidatos

CONCURSOS
¿ Confira algumas técnicas de estudo para concursos públicos
¿ Teatro faz comédia com rotina de concurseiros

Planejamento, disciplina e perseverança são palavras-chave quando o assunto são os concursos públicos. Mas, como a disputa por uma vaga no setor público está cada vez mais acirrada ¿ principalmente pela estabilidade da carreira ¿ estudar bastante já é mais do que esperado.

Contudo, algumas técnicas de condução desse estudo podem ajudar o profissional a se dar melhor na prova. Segundo o juiz de Direito William Douglas , autor do livro Como passar em provas e concursos , da editora Campus Elsevier, a técnica mais eficaz é aquela que faz o concurseiro apreender melhor a matéria.

Individual ¿ Cada pessoa deve descobrir quais técnicas elevam o seu rendimento, seja com estudo em grupo ou sozinha, por meio de resumos, mapas mentais, áudios ou o que for. O importante é descobrir qual a melhor forma de assimilar e lembrar do conteúdo pedido no edital, explica o juiz.

Em relação ao número de horas que devem ser estudadas, Douglas comenta que cada um tem o seu limite. Para descobri-lo, basta aumentar gradativamente a carga-horária de estudo até o ponto em que não haja declínio da concentração e aprendizado. Existem fatores que colaboram com a qualidade do estudo: a metodologia, a postura correta, o material, o ambiente, a alimentação, horas de sono... tudo isso pode influenciar a qualidade do estudo, comenta.

A advogada Juliana Cavalcante Maia, de 32 anos, conta que quando decidiu ingressar na magistratura estudava cerca de oito horas por dia, fora o cursinho que demandava a manhã toda. No final do dia eu estava exausta. Depois de um ano nesse ritmo, fiquei com anemia e completamente sem amigos. Eu era uma pessoa que nunca saia de casa, quase não via a luz do sol. O meu prêmio foi aprender a estudar. Claro que não passei, conta.

Equilíbrio ¿ É justamente esse balanço entre a vida particular e a profissional, nesse caso, de estudo, que faz toda a diferença para a qualidade do que se aprende. Segundo o juiz William Douglas, a prática de exercícios físicos oferece mais disposição e oxigena o cérebro. Ele afirma que é importante fazer nem que seja uma caminhada de 40 minutos, cerca de três vezes por semana.

A atenção à família e ao lazer é outro ponto importante. De que adianta estudar pensando que poderia estar com a família? Ou passar horas com a família, mas com sentimento de culpa, pensando que poderia estar estudando?, indaga Douglas.

Perseverança ¿ Juliana, que está no segundo ano de estudo para ser juíza, diz que aprendeu a lição. Um dos lemas de nós, concurseiros, é que nós não estudamos para passar, mas estudamos até passar. Estou convicta de que minha vez vai chegar. Para isso, me organizei e dividi os meus horários. Uma hora por dia, sou obrigada a escutar música.

Para a advogada, as técnicas que funcionam são: ter um cronograma de horários definidos, prestar muita atenção nas aulas e fazer anotações, pensar no conteúdo das matérias durante as caminhadas e sempre tirar as dúvidas, mesmo aquelas que aparecem em sonhos, diz.

Leia também:
- Vale a pena investir em cursos de gestão do tempo?
- "Na carreira e no esporte, virtudes não podem ser exceção", diz judoca

Siga o iG Empregos no Twitter

Receba as atualizações do iG Empregos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.