Publicidade
Publicidade - Super banner
Carreiras
enhanced by Google
 

Como destacar a formação acadêmica no currículo

Confira as dicas para inserir as informações sobre cursos realizados

Rachel Sciré |

Depois das experiências profissionais, o campo a seguir em um currículo é o da formação acadêmica. Nesta área, o candidato deve descrever apenas os cursos que forem mais relevantes à sua profissão. As informações devem estar dispostas de maneira direta e organizada, da mesma forma como acontece na descrição das experiências ou dos dados pessoais.

Veja a seguir, algumas dicas da consultora Cida Bucater, que atua no Instituto de Organização Racional do Trabalho (Idort/SP), para montar seu currículo.

Formação
Comece pelos cursos de maior titulação, como pós-graduação. Indique o nome do curso, a instituição de ensino e o período. Se ainda estiver estudando, coloque a previsão de conclusão do curso e não só o semestre ou o período. Não é necessário incluir dados do Ensino Médio, a não ser que o candidato tenha feito um curso técnico relevante na sua área, diz Cida.

Idiomas e informática
As informações sobre cursos de idiomas ou informática podem ser colocadas no campo Conhecimentos e habilidades.  Mencione sempre seu nível educacional, embora não seja preciso dizer que possui conhecimento básico", explica Cida.

No caso de informática, ela recomenda ao candidato descrever se possui domínio em alguns programas ou é apenas usuário. Já em relação a idiomas, o ideal é mencionar o nível (se fluente ou intermediário) e quais suas habilidades específicas (fluência para conversação e leitura, por exemplo). Diplomas de proficiência podem ser citados nesse campo.

Outros estudos
O tópico Conhecimentos e habilidades pode ser importante para profissionais em início de carreira. Ali é possível incluir seminários, congressos e cursos livres que tenham sintonia com a área de atuação profissional. Informe o curso realizado, o nome da escola, o ano ou período em que assistiu às aulas e a carga horária. Coloque apenas os mais recentes, diz Cida.

Não invente (nem aumente)
A consultora destaca que a maioria dos empregadores deseja comprovar os conhecimentos. Mais um motivo, portanto, para não inventar ou superavaliar habilidades. Se prepare para passar para um teste de planilha Excel, se disser que tem domínio, afirma Cida.  O currículo é uma importante peça de marketing, mas não pode ser propaganda enganosa.

Leia tudo sobre: currículosig empregos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG