Tamanho do texto

Ampliar o objetivo pode aumentar chances de colocação

O iG pediu à Selma Fredo, consultora da DBM, a análise do currículo de um técnico de suporte, de 22 anos. Acompanhe como ficou o currículo depois da reformulação proposta por ela.

Confira o currículo do internauta: antes...

... e depois.

Sobre a apresentação do conteúdo, Selma afirma que o internauta incluiu nesse item o esperado. Ela comenta que não há necessidade de informações sobre nacionalidade, estado civil e idade. Mas é fato que o mercado ainda as valoriza, ressalva.

A consultora explica que se o profissional achar que essas informações poderão prejudicar a receptividade do que se lerá na sequência, é preferível deixá-las no final do currículo ou omiti-las, apresentando-as depois na entrevista. É importante lembrar que jamais se deve tentar construir pequenas ou grandes mentiras no currículo, alerta.

A principal recomendação que ela dá ao candidato ¿ e que serve para todos os que procuram um emprego ¿ é que ele reflita mais sobre sua trajetória profissional. Investigue a fundo por que as coisas que você faz são boas, se geram satisfação e se o fazem um profissional destacado.

Busque seus diferenciais, guiando-se pelas questões: o que eu faço? Como o mercado conhece o que eu faço? Alguém que não seja de minha área entenderá esses nomes? O que fiz porque me mandaram e por minha própria iniciativa? Como eu fiz? Tive que negociar? Quais os resultados tangíveis e intangíveis de minhas ações?, enumera.

Selma aconselha o candidato a desdobrar essas perguntas em outras, trabalhar as respostas e, então, extrair apenas o que for essencial ao currículo . Muita coisa ficará fora. Mas o material que sobrar estará em sua mente nas situações de entrevista, para ampliar as informações de seu currículo. O interlocutor ficará muito bem impressionado com um candidato que já era bom ao ser lido e que ficou melhor ainda sendo ouvido. Bom trabalho e boa sorte!.

Acompanhe os acertos e erros do internauta, apontados pela consultora.

Acertos
- Omissão de números de documentos e registros em Dados Pessoais. Nada disso tem relevância.
- Em Objetivo, segue outro acerto do internauta: muitas pessoas não colocam esse item no currículo, esperando que o selecionador adivinhe o que elas pretendem ou podem fazer.
- A menção à recuperação de sistemas é, por exemplo, um ótimo diferencial, pois anuncia que, depois, no decorrer da leitura do currículo, o selecionador saberá como o internauta costuma fazer isso.
- O internauta ficou atento ao layout, usou os negritos especialmente para indicar Títulos e Subtítulos, o que gerou indexação de leitura ¿ ou seja: o leitor entendeu que poderia se guiar por esse detalhe de formatação para encontrar informações recorrentes, como nome da empresa, função exercida etc.
- Quanto à linguagem, o internauta apresentou correção. Poderia aproveitar sua facilidade para discorrer mais sobre suas realizações e competências.

Erros
- No item Dados Pessoais, mencionar um contato para recados é um erro, já que o internauta tem seu próprio celular. É muito melhor para a empresa contratante conseguir imediatamente falar com o alvo de seu interesse.
- No item Objetivo, ainda que o internauta tenha acertado no formato, é preciso que entenda que as empresas muitas vezes atribuem diferentes nomes de função às mesmas responsabilidades e rotinas. Ao usar um nome específico de função ou área, o profissional diminuirá o alcance de suas competências. Como o internauta também atua de forma independente, além de ter experiência em treinamento e docência, é interessante colocar Suporte Técnico / Consultoria em Informática.
- Em Habilidades Profissionais, o ideal é trocar o nome do item para Qualificações. O internauta deve fazer um índice do currículo, um apanhado geral daquilo que o selecionador poderá aprofundar ao ler as realizações em cada empresa citada em Experiência Profissional.
- Nesse item, é preferível não usar a primeira pessoa e manter um distanciamento respeitoso, que dará ao currículo mais elegância e senso de objetividade.
- Definir, no primeiro tópico, as áreas em que se dá sua experiência, em quais funções e, se for o caso, antecipar o nome das empresas.
- Mencionar o tempo de carreira só é recomendável se for possível resgatar essa conta em Experiência Profissional. O internauta disse ter uma experiência de nove anos na área, mas depois relaciona um período de cinco anos (de 2005 a 2010), ou seja, a conta não fecha.
- Como o internauta atua na área técnica, é importante citar as ferramentas com as quais está habituado a trabalhar.
- É interessante mencionar algo relevante sobre Formação Escolar e Cursos Complementares. Tudo indica que o internauta concluiu o Ensino Médio comum. Portanto, vale destacar o que sustenta suas qualificações ¿ os cursos extracurriculares. A sugestão é deslocar para o final do currículo os blocos Formação e Formação Adicional, com todos os detalhes sobre horas cumpridas, localidade e ano de conclusão (informação importante que o internauta esqueceu de fornecer).
- No item Experiência Profissional se selecionador não encontrar explicações objetivas e rápidas sobre as atividades do profissional e seus resultados, a entrevista não ocorrerá. Essa é a verdadeira função de um currículo: sozinho, não garantirá a vaga sonhada.
- O internauta fala pouco sobre suas realizações e competências. Se tem habilidade em recuperar sistemas, como faz isso? Qual é o seu diferencial? A rapidez? A garantia do serviço? A satisfação do cliente? O custo? Não basta descrever as atividades desenvolvidas. É preciso mostrar que, ao desenvolvê-las, ele o faz de forma única.
- Frases como Trabalho das 07h00 às 13h00 e tenho total disponibilidade de horário, pois posso mudar para o turno noturno ou da madrugada e conciliar 2 empregos tranquilamente  devem ser ditas na entrevista, em vista da oferta. No currículo, denotam ansiedade excessiva ou a ideia de que qualquer coisa será aceita. Quem vende competências deve saber a hora de negociá-las.
- Ao comentar suas realizações, o internauta poderá usar a primeira pessoa do singular, em tom que demonstre iniciativa e liderança, nunca auto-elogio e pretensão. No item Autônomo, por exemplo, ele pode dizer o seguinte: Tenho habilidade na recuperação de sistemas X, Y e Z, utilizando os programas A, B e C. Também realizo manutenção, instalação e troca de equipamentos, apresentando pesquisa de preço e dos melhores fornecedores, oferecendo soluções compatíveis à realidade e necessidade do cliente pessoa física e jurídica.
- Quanto às referências, o ideal é não mencioná-las no currículo, a menos que seja solicitado.
- O currículo deve ficar em uma página apenas.
- É interessante uniformizar mais o layout: o formato não deve chamar mais a atenção do que o conteúdo. Ele deve ser limpo, elegante e facilitar a leitura. As aglomerações, principalmente no item Experiência Profissional, devem ser evitadas.

Leia mais sobre empregos

Siga o iG Empregos no Twitter

Receba as atualizações do iG Empregos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.