Perito criminal tem o maior aumento de salário em três anos: 523,7%

Por Marília Almeida - iG São Paulo |

Texto

Tirando ocupações relacionadas ao setor público, remunerações de médico de medicina diagnóstica e de terapêutica registraram a maior elevação entre 2009 e 2012

SXC
Número de empresas que oferece programas de incentivo de longo prazo é crescente

Os últimos três anos não registraram uma economia tão aquecida como no período anterior, mas ainda foi um período de altas de salários em ocupações de nível superior e técnico no Brasil.

Leia também: Médicos e militares ganham o maior salário; filósofos e teólogos, o menor

Em geral, os cargos com formação superior aumentaram, em média, 16% acima da inflação, enquanto ocupações de cursos técnicos tiveram alta de 10% nos salários, em média.

Porém, algumas ocupações ficam bem acima destas variações. É o caso do salário médio recebido por peritos criminais, que teve a maior alta entre as ocupações de nível superior de 2009 a 2012: 523,7%, atingindo R$ 7,7 mil.

Ocupações relacionadas ao setor público, como a dos peritos, concentraram as maiores variações, refletindo uma política de valorização destas carreiras que já existia em governos anteriores, como o do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de acordo com o pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Paulo Meyer Nascimento.

Grandes aumentos salariais geralmente apontam para a escassez de mão de obra ou ocupações recentes, mas apenas em funções mais ligadas ao setor privado. "Em geral, não notamos escassez de profissionais no País, apenas em algumas especialidades e regiões", diz Nascimento.

Entre as dez maiores altas de salários considerando profissionais admitidos, ao menos cinco estão relacionadas ao setor público e a área de pesquisa, aponta Nascimento.

Além dos peritos criminais, figuram auditores fiscais de previdência social, pesquisadores de engenharia e tecnologia, tabeliães e registradores e pesquisadores da ciência da agricultura. O estudo não considera remunerações variáveis fora o salário bruto.

Ocupações de nível superior com maiores ganhos salariais
OcupaçãoVariação 2009-2012 (%)Salário médio de 2012 (R$)
Peritos criminais523,77,7 mil
Profissionais da administração dos serviços de segurança174,46,8 mil
Auditores fiscais da previdência social86,22,5 mil
Médicos em medicina diagnóstica e terapêutica47,38,4 mil
Filósofos46,53 mil
Pesquisadores de engenharia e tecnologia46,212,3 mil
Tabeliães e registradores43,61,7 mil
Pesquisadores das ciências da agricultura42,95,3 mil
Físicos41,25,8 mil
Profissionais de pilotagem aeronáutica36,84,9 mil
Fonte: CAGED/MTE


Já entre os cursos técnicos, figuram setores relacionados a área de engenharia, diz o pesquisador, mas também que tiveram maior demanda no período. 

Ocupações de nível técnico com maiores ganhos salariais 
OcupaçãoVariação no período 2009-2012 (%)Salário médio em 2012 (R$)
Técnicos em operação de câmara fotográfica, cinema e televisão 512 mil
Técnicos de inspeção, fiscalização e coordenação administrativa 41,61,7 mil
Técnicos em laboratório 29,31,9 mil
Instrutores e professores de escolas livres 27,71,8 mil
Técnicos da ciência de saúde animal 231,5 mil
Fonte: CAGED/MTE


Geração de empregos

O estudo também levanta as ocupações que mais geraram empregos nos últimos anos. Porém, Nascimento ressalta que elas não necessariamente devem apresentar o mesmo desempenho nos próximos anos.

O destaque entre as ocupações de nível superior foram os analistas de tecnologia da informação, para os quais foram criados mais de 49 mil postos no período.

A média salarial destes profissionais é maior em estados como São Paulo, Rio de Janeiro e no Sul do país começa a ganhar espaço também em alguns estados do Nordeste, conta Nascimento.

As carreiras de nível superior que mais geraram postos de trabalho no Brasil
OcupaçãoNúmero de vagas
Analistas de tecnologia da informação49.535
Enfermeiros e afins27.282
Profissionais de relações públicas, publicidade, mercado e negócios20.853
Secretárias(os) executivas(os) e afins14.017
Farmacêuticos13.897
Administradores11.469
Engenheiros civis e afins11.371
Profissionais de recursos humanos8.536
Advogados8.414
Professores de nívelsuperior do ensino fundamental

7.672
Fonte: CAGED/MTE
Texto

notícias relacionadas