Washington, 26 - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) afirmou nesta segunda-feira que dará mais três meses para análise pública e comentários sobre seu controverso plano de rever as regras para venda de bovinos, suínos e aves dos produtores à indústria

selo

Washington, 26 - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) afirmou nesta segunda-feira que dará mais três meses para análise pública e comentários sobre seu controverso plano de rever as regras para venda de bovinos, suínos e aves dos produtores à indústria. Autoridades do USDA argumentam que a proposta acabaria com práticas de manipulação de preços que afetam o produtor. A proposta inclui a proibição de que embaladores vendam carnes entre si. Além disso, os agentes de compra seriam impedidos de trabalhar em mais de uma empresa embaladora ao mesmo tempo. Mas legisladores, representantes da indústria e alguns grupos de produtores disseram que o plano do USDA sufocará o comércio de carnes por conta do excesso de regulação nas transações entre criadores de gado, suínos e aves e os embaladores. As críticas à proposta começaram desde que o USDA a anunciou, em 22 de junho. Muitos legisladores se uniram a processadores de carnes para criticá-la. Na semana passada, tanto deputados do Partido Republicano quanto do Partido Democrata, membros do Subcomitê Agrícola de Criação, Laticínios e Aves da Câmara dos Representantes pediram que o USDA adiasse a aprovação das novas regras. O período de comentário para a proposta havia sido estabelecido até 23 de agosto, mas agora foi adiado para 22 de novembro. O presidente da American Farm Bureau Federation, Bob Stallman, afirmou estar satisfeito com a extensão do prazo. Segundo ele, é preciso mais tempo "para analisar melhor os impactos econômicos e legais da regra sobre os produtores". "O impacto desta norma vai variar dependendo do tipo de animal produzido, das formas como o produtor comercializa seu produto e do local onde são realizadas as operações de abatimento e processamento." As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.