Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Capital especulativo foge

O Brasil perdeu US$ 18,9 bilhões em investimentos estrangeiros realizados em carteira (IEC) nos últimos quatro meses, segundo o Banco Central (BC). O movimento de retirada de dólares foi liderado pela saída dos investidores da Bolsa de Valores, mas também atingiu aplicações em títulos públicos de curto e longo prazos.

Agência Estado |

Em dezembro, o IEC foi negativo em US$ 5,4 bilhões. Em janeiro, pelos dados parciais até o dia 26, a Bolsa perdeu mais US$ 711 milhões e as aplicações em renda fixa, outros US$ 1,4 bilhão. A grande diferença se apresenta na comparação entre os números de 2008 e 2007.

Em 2007, o Brasil recebeu US$ 48,1 bilhões de investimentos estrangeiros em carteira. Esse tipo de aplicação, diferentemente do Investimento Estrangeiro Direto (IED), tem natureza mais especulativa, sendo vantajoso pelo diferencial de taxas de juros do Brasil e pela alta expressiva que a Bolsa local obteve até junho.

Em 2008, o IEC perdeu em quatro meses tudo o que acumulou até agosto, fechando o ano negativo em US$ 767 milhões. As aplicações em títulos de renda fixa fecharam com crescimento de US$ 6,8 bilhões, mas a Bolsa teve perda líquida de US$ 7,6 bilhões em investimentos estrangeiros.

Todas as variáveis das contas externas, exceto o IED, pioraram significativamente em 2008 por causa da crise financeira: balança comercial, remessa de lucros, viagens internacionais e fluxo financeiro. O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, aposta numa reversão parcial dessa tendência ao longo de 2009.

"É de se esperar uma piora da balança comercial por causa da queda nos preços das commodities, mas por outro lado teremos queda nas remessas e no déficit com viagens internacionais. As saídas financeiras devem cair porque o estoque ficou menor, e as despesas com viagens, por causa do câmbio e da menor renda."

O déficit com viagens internacionais foi de US$ 5,2 bilhões em 2008. Em dezembro, as despesas dos brasileiros no exterior praticamente empataram com as receitas provenientes de turistas estrangeiros. Em janeiro, pelos dados parciais até dia 26, o déficit das viagens internacionais está em US$ 187 milhões, bem menor em relação ao resultado de igual mês de 2008. Já a remessa de lucros caiu para US$ 480 milhões.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG