Ribeirão Preto, SP, 25 - O pecuarista de São Paulo tem até o próximo domingo para vacinar todo o seu rebanho contra a febre aftosa. Iniciada no último dia 1º, a campanha acontece anualmente em duas etapas, nos meses de maio e novembro.

São Paulo vai completar 13 anos em 2009 sem registro da doença.

Vencido o prazo para vacinação, o criador tem até o dia 8 de dezembro para comunicá-la junto à unidade de defesa agropecuária do seu município ou na regional mais próxima da sua propriedade. Para isso, precisa apresentar as notas fiscais comprovando a compra da vacina e a relação do gado vacinado.

Caso não comprove a imunização dentro do período, o pecuarista está sujeito a multas que são de 3 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo (Ufesps), ou R$ 44,64 por cabeça, pela não comunicação no prazo e de 5 Ufesps (R$ 74,40) por cabeça, pela não-vacinação. Após isto, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA), órgão da Secretaria de Agricultura responsável pela sanidade animal e vegetal no estado, acompanhará junto ao criador a imunização de 100% do rebanho.

Segundo informações da Central de Selagem de Vacinas, foram comercializadas até o momento no Estado de São Paulo cerca de 11 milhões de doses. Conforme avaliação da CDA, o pecuarista tende a fazer a vacinação na última semana. Na etapa anterior da campanha de vacinação, em maio deste ano, foi registrado o índice de 99,16% de cobertura de um rebanho total de quase 12 milhões de cabeças.

A carne bovina é o segundo item na pauta de exportações do agronegócio paulista e em 2007 alcançou US$ 3,16 bilhões em vendas externas, graças infra-estrutura frigorífica e logística de transportes. Perde apenas para o setor sucroalcooleiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.