Transportadoras gregas realizam em Atenas assembleia extraordinária convocada pelo sindicato do setor

As transportadoras gregas realizam neste domingo em Atenas uma assembleia extraordinária, convocada pelo sindicato do setor, para decidir se suspendem a greve iniciada na segunda-feira passada. Enquanto isso, o Exército, com a ajuda de caminhoneiros mobilizados pelas medidas adotadas pelo Governo, conseguiu restabelecer grande parte da provisão de combustível e produtos no país, aliviando a situação de desabastecimento criada pelos seis dias de greve.

O ministro de Infraestrutura e Transporte, Dimitris Repas, propôs ontem à noite ao sindicato de caminhoneiros de transporte e de petróleo que terminassem com a greve em troca de as sanções por terem desobedecido a ordem governamental de retornar o trabalho serem suspensas. Cerca de 33 mil transportadoras protestam contra o plano do Executivo socialista de liberalizar sua profissão.

A liberalização do setor do transporte, assim como as previstas em outras profissões, é parte dos requisitos exigidos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pela União Europeia (UE) - que têm a economia grega sob supervisão, após dar-lhe um pacote de ajuda em forma de empréstimos - para salvar-lhe da quebra.

Os caminhoneiros e o Governo mostraram ontem à noite a vontade de continuar com as negociações prévias à greve, mas o Executivo deixou claro que só tratará sobre detalhes do período de transição rumo à nova regulamentação, e sobre eventuais reduções de impostos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.