Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

CÂMBIO-Dólar cai 0,7% com expectativas de corte de juros nos EUA

Por Fabio Gehrke SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda nesta terça-feira, após duas sessões de alta, acompanhando o cenário dos principais mercados internacionais em meio a expectativas de cortes na taxa de juros do Federal Reserve e novas atuações do Banco Central.

Reuters |

A moeda norte-americana caiu 0,67 por cento, a 2,372 real. Apesar da queda desta sessão, a divisa acumula alta de 2,26 por cento em dezembro.

"O dia está bem tranquilo, hoje ele tem mais operação e o dólar fica menos volátil", afirmou Mario Battistel, gerente da Fair Corretora, se referindo ao fraco volume de negócios da véspera que amplificou as oscilações daquela sessão.

"Mas o real só começou a seguir as moedas lá fora (subir frente ao dólar) depois do leilão do Banco Central", ressaltou Battistel, lembrando que a moeda norte-americana passou toda manhã operando sem rumo definido perto da estabilidade. Frente as principais moedas internacionais, o dólar perdia 0,74 por cento às 16h26.

No início dos negócios da tarde, o Banco Central realizou um leilão de venda de dólares no mercado à vista. A autoridade monetária também anunciou uma leilão de venda de dólar com compromisso de recompra para quarta-feira.

Ainda nesta terça-feira, a autoridade faz pesquisa de demanda e anunciará se irá realizar um leilão de swap cambial tradicional com o objetivo de prosseguir com a rolagem de lote de contratos que vencem no início de janeiro.

"Com taxa de juro zero, não tem com sustentar valorização do dólar", afirmou Marcelo Voss, economista-chefe da corretora Liquidez, referindo-se à expectativa de um novo corte nos juros norte-americanos.

Nesta terça-feira, o Federal Reserve deve cortar a taxa de juro em 0,50 ponto percentual para 0,5 por cento ao ano.

Voss ressalta ainda que grande parte das remessas de final de ano já ocorreram, o que diminui a pressão sobre o real. "Aparentemente grande parte já foi... o fluxo de saída já está se enfraquecendo."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG