Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Câmbio tem impacto positivo de R$ 3,45 bi no balanço da Petrobras

Valor Online RIO - A depreciação do real teve impacto positivo para o resultado registrado pela Petrobras no terceiro trimestre. De acordo com a companhia, o resultado financeiro líquido foi positivo em R$ 2,843 bilhões, contribuindo para o lucro líquido de R$ 10,852 bilhões obtido entre julho e setembro.

Valor Online |

De acordo com o diretor de finanças e relações com investidores da Petrobras, Almir Barbassa, o impacto positivo derivado apenas do câmbio no balanço da companhia somou R$ 3,45 bilhões no trimestre.

Nos nove primeiros meses do ano, o ganho financeiro líquido registrado pela companhia foi de R$ 641 milhões, devido, principalmente, ao efeito da depreciação do real sobre os ativos líquidos expostos à variação cambial. Entre janeiro e setembro do ano passado, a estatal teve perda financeira líquida de R$ 3,2 bilhões.

"No último trimestre o impacto foi importante, significativo quando comparado a igual período do ano passado. No acumulado do ano, tínhamos perdas cambiais até o segundo trimestre, que foram compensadas agora", frisou Barbassa.

A variação cambial, que contribuiu para o aumento do lucro, foi responsável também pelo crescimento da dívida da empresa. De acordo com o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Petrobras, Almir Barbassa, a maior parte do endividamento da companhia é em dólar, o que levou ao crescimento do endividamento líquido, que pulou de 19% para 21% do capital líquido da Petrobras.

Em números absolutos, o endividamento total da companhia subiu 15% no terceiro trimestre, pulando de R$ 41,955 bilhões em 30 de junho para R$ 48,325 bilhões em 30 de setembro, dos quais 25% em dívidas de curto prazo. O endividamento líquido pulou 21%, de R$ 30,909 bilhões para R$ 37,549 bilhões no mesmo período.

"A dívida em dólar, que é a maior parte, aumenta quando o real se desvaloriza. Não houve aumento por novas dívidas, mas principalmente por causa da variação cambial", ressaltou Barbassa.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG