SÃO PAULO - A Construtora Camargo Corrêa venceu a licitação para construir e operar a segunda maior estação de tratamento de água do Peru, orçada em US$ 270 milhões. A nova estação será construída na cidade de Huachipa, na área metropolitana de Lima. Pelo contrato, a Camargo Corrêa terá que operar a estação por quatro anos. A licitação foi vencida por um consórcio entre a empresa brasileira, que detém 81% da parceria, e a francesa OTV.

Esta é a primeira obra de saneamento da Camargo Corrêa no Peru, país que tem se tornado cada vez mais estratégico nos planos de expansão internacional da companhia por conta do acelerado ritmo de crescimento de sua economia. A empresa pretende, agora, ganhar força nesse segmento para disputar uma série de obras ligadas a abastecimento de água e tratamento de esgoto que o governo de Alan Garcia planeja implementar até 2011.

Hoje, a Camargo Corrêa tem uma carteira de projetos de cerca de US$ 400 milhões no Peru, incluindo seus parceiros. Com o avanço nos investimentos em infra-estrutura, a companhia almeja conquistar cerca de US$ 600 milhões em novos contratos nos próximos dois anos. Esse é um dos nossos principais focos aqui, há muito espaço para crescer no setor de saneamento no Peru , afirma Marcos Wanderlei, diretor da divisão Andina da companhia brasileira
A nova estação deve ter as obras iniciadas ainda em 2008 e é um dos projetos mais importantes do governo Alan Garcia no setor de saneamento. Localizada em uma cidade periférica de Lima às margens do rio Rimac, a estação vai levar água potável para 2,4 milhões de pessoas em cinco municípios da região metropolitana da capital peruana. Além da estação de tratamento em si, caberá à Camargo e sua sócia francesa construir uma rede de abastecimento de 27 quilômetros em ferro fundido, mais dois túneis de 5 quilômetros cada um e cinco grandes reservatórios. É uma obra de grande porte, umas das maiores já feitas no setor de saneamento peruano , diz Wanderlei, que assinou o contrato de concessão diretamente com o presidente peruano.

Os US$ 270 milhões que o governo peruano está aplicando em Huachipa fazem parte de um pacote de investimentos em saneamento da ordem de US$ 2,7 bilhões. Alan Garcia pretende, até 2011, abastecer com água potável toda a população da grande Lima e universalizar os serviços de tratamento de esgoto. Nos próximos meses o governo peruano deve licitar uma nova estação de abastecimento na capital, no valor de US$ 285 milhões e duas estações de tratamento de águas residuais com investimentos previstos de mais de US$ 500 milhões. Queremos participar também de novas licitações de tratamento de esgoto que estão por vir , afirma Wanderlei.

Atualmente, a Camargo Corrêa participa da construção da Rodovia Inter-Oceânica, que ligará o Norte do Brasil ao Oceano Pacífico. Os planos de expansão da companhia no país também envolvem outras obras no segmento de transporte. A área de energia, principalmente na construção de hidrelétricas, é outro setor que estamos interessados e que tem um grande potencial de geração de novos negócios no Peru , afirma o executivo.

(Yan Boechat | Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.